23/02/2008

A descentralização da gestão escolar

O Governo aprovou a transferência de novas competências para os municípios em matéria de educação até ao terceiro ciclo do básico.
Considero que esta ministra e este governo estão a fazer reformas que já deveriam ter sido feitas há mais tempo. A descentralização das escolas é um bom caminho para se dar uma volta ao ensino do nosso país. Depois desta passagem de funções para as autarquias e comunidades locais, devia passar-se também a contratação de professores para fora do ministério. Mas compreende-se que nesta fase de começo, apenas se descentralizem funções de gestão escolar. Finalmente há um governo determinado em descentralizar o ensino, tal como existe em vários países mais evoluídos (Estados Unidos, países nórdicos, Alemanha, etc)
No entanto, considero que existe um problema, ou pode ser só um pensamento meu. Esta mudança parece-me positiva, ao transferir-se a gestão das escolas para as gentes da terra, pois, como é obvio, são as gentes da terra quem melhor conhece o contexto (social, cultural, educacional) e portanto, melhor estará capacitada para dar uma resposta mais eficaz às necessidades educativas de cada agrupamento de escolas/concelho, mas terá que haver muita atenção ao factor "cunha", pois como se sabe a nossa sociedade vive muito das "cunhas", mas espero bem que isto não se verifique, para o bem das escolas, e das próprias autarquias.
Esta mudança parece-me boa...mas a seu tempo se verá...

1 comentário:

Jorge Teixeira disse...

viva...
saúde-se a sua aventura na blogosfera.

comentando o post: nem sempre que chamamos um nome a alguma coisa, no caso "descentralização", ela existe realmente.
é o caso.
a descentralização é boa na sua essência e necessária, no entanto não existe quando há um controlo absoluto de tudo e excesso de burocracia.
a coragem nem sempre é o que parece!